quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Prefeita não diz nada das novas barragens

Dando continuidade sobre o importante debate sobre as usinas de energia instaladas em nossa região serrana, uma internauta atenta a este tema, levantou uma série de questões que de fato deveriam preencher a pauta do vereador Eliomar Oliveira relacionada ao assunto.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

ETE do Faraó já se encontra precária antes de funcionar

Segundo informado no comunicado da empresa responsável pelas “Pragas-do-Edwiges”, a nota alerta que é o primeiro empreendimento imobiliário de BJI a construir sua própria estação de tratamento de esgoto.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Lama da Samarco/Vale | O terceiro impacto ainda não foi abordado

Os impactos ambientais da tragédia criminosa da Sarmaco/Vale já foram aprofundados sobre o leito do rio Doce e sobre os impactos da vida marinha, e mesmo com tantas perdas nesses dois ambientes atingidos, ainda temos um terceiro ambiente que também foi atingido, porém ainda não debatido.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Mariana/Rio Doce – Aos poucos se descortina a real dimensão da tragédia

Ficou mais do que evidenciado que o polêmico embate entre os solidários de Paris e Mariana, na verdade estavam indignados era com a profunda cobertura da mídia com os atendados na França, e se mantendo plenamente indiferente com a tragédia criminosa da lama da Samarco (Nunca de Mariana!).

As consequências de um empreendimento irresponsável


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A morte do Rio Doce – Perplexidade ambiental

Até quando esta tragédia será tratada com a devida dimensão que ela representa?

Uma das mais importantes bacias hidrográficas da região Sudeste (Salvo engano a segunda maior, atrás apenas do Paraíba do Sul) foi aniquilada de maneira irreversível pela busca aloprada pelo LUCRO.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

NÃO FOI ACIDENTE! FOI CRIME AMBIENTAL”

Importante manifestação do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ) a conduta governamental em todas as esferas, que estão notadamente subservientes aos interesses das mineradoras

Defesa Civil | Violações sistemáticas da Orientação Normativa nº 11/2009

A prefeita de Bom Jesus do Itabapoana vislumbrou na degradação ambiental e estrutural do município como um irresistível filão para se praticar contratações sob dispensa de licitação, sempre em busca de um decreto emergência, a prefeita tem a sórdida conduta de sempre aguardar salivando por uma tragédia climática.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Bastidores de uma tragédia: Os relações públicas da Samarco dão uma surra no Estado brasileiro, que sucumbe ao poder econômico

O rio do Carmo, 50 quilômetros abaixo de onde as barragens romperam!
A mineradora Samarco, joint venture da Vale com a australiana BHP Billiton, teve um lucro líquido de R$ 2,8 bilhões em 2014. Ou seja, limpinhos!

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Barragens da Samarco [Tragédia no Espinhaço] - DADOS SOBRE O ABSURDO

Reproduzo um impressionante dossiê sobre a verdadeira dimensão da tragédia, extraído do Facebook na página denominada “Projeto Mulheres Sempre Vivas”, e compartilhada pelo professor Tarcísio Motta:

domingo, 8 de novembro de 2015

Iniciada a temporada dos lamaçais urbanos de BJI

É muito grave o momento em que vive Bom Jesus do Itabapoana e seus habitantes, se refletirmos com profundo senso crítico, podemos facilmente constatar que nosso poder público é capaz de proporcionar fenômenos que desafiam a própria natureza e suas características.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Retrospectiva das agressões ambientais contra o Itabapoana

Curta documentário com os registros em vídeo feitos entre janeiro de 2013 até novembro de 2015, sobre as mais variadas agressões sofridas pelo rio Itabapoana, além dos vídeos produzidos por este canal do Portal da Cidadania, ainda temos outros dois vídeos, um do G1 Espírito Santo sobre a crise hídrica em São José do Calçado, e outro do blogueiro Carlos Jorge sobre o despejo de esgoto no leito do Itabapoana no centro de Bom Jesus do Itabapoana.

Itabapoana permanece sob intensos ataques

O despejo de esgoto sem tratamento no rio Itabapoana atinge níveis inaceitáveis, e nesta semana tivemos o fato repercutido nas redes sociais com imagens impactantes da língua negra de esgoto em pleno centro da cidade, uma cena aterrorizante se observarmos que a captação de água que abastece a cidade fica poucos metros dali.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Internauta denuncia desperdício de água na Praça da Bíblia

A sociedade começa a se engajar sobre a realidade hídrica que vivemos, os internautas estão atentos aos cidadãos que desperdiçam água na rua, conforme matéria publicada no blog Jailton da Penha nesta terça-feira, em que um cidadão se banhava na Arca do Santa Rosa enquanto bebia cerveja.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

O avanço da tragédia sob a omissão pública

A cratera da rua Guilherme Mathias tornou a ser lembrada nas redes sociais, sempre por parte dos internautas ou pela mídia independente local, que desde o início de 2012 venho alertando o poder público sobre o grave problema ambiental que vivemos por conta daquela irresponsabilidade em forma de obra de drenagem pluvial.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Alerta aos perdulários hídricos!

As fotografias do rio Itabapoana que ilustram este alerta, foram registradas pelo administrador da página de Calheiros no Facebook, e pela pecuarista de Bom Jesus do Norte, Maria Angélica Baptista, em ambos os casos os autores das imagens tem como objetivo em suas respectivas publicações em chamar atenção de todos para o drama do Itabapoana.

Duas tragédias anunciadas e alertadas por Aguiar


O vereador Ricardo Aguiar no uso da tribuna fez uma explanação alarmante sobre duas encostas com iminente risco de deslizamento trágico em ambas, uma situada nas margens da rodovia RJ 230 na saída do bairro Santa Rosa, a quantidade de lama que descerá com o desabamento definitivo da encosta em processo de erosão atingirá diversas residências.

domingo, 25 de outubro de 2015

Um inusitado e inaceitável impasse do Itabapoana

A conjuntura ambiental em Bom Jesus do Itabapoana é tão grave, que chegamos a perplexidade de indagarmos qual cenário é mais agressivo ao Rio Itabapoana, se é durante as longas estiagens que estamos vivendo ou se é com a chegada das fortes chuvas de temporada quente.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

CAR | Executivo unilateral, resulta em produtores desatendidos

O Cadastro Ambiental Rural teve seu prazo prorrogado, e diferente do que as necessidades ambientais determinam, a maioria dos proprietários rurais festejaram a possibilidade de se ganhar mais tempo, uns por não se interessar pela recuperação ambiental em sua propriedade, e a maioria por não ter condições financeiras para regularizar as escrituras das propriedades.

Chuva sem reflorestamento não soluciona em definitivo

A tão pedida e necessária chuva parece que está por chegar no Vale do Itabapoana, algumas cidades vizinhas já estão sendo contemplada e em Bom Jesus do Itabapoana o que não falta é orações para trazer a tão clamada chuva, são diversas comunidades bom-jesuenses que passam por sérios problemas de abastecimento.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Nove meses de hipocrisia hídrica e do charlatanismo emergencial

O assunto da virada de 2014 para 2015 foi a crise hídrica vivida em Bom Jesus do Itabapoana, mesmo com os seguidos temporais e seguidos flagrantes de desperdícios de água tanto por parte da CEDAE como do SAAE, o governo conseguiu ter aprovado o seu sempre fajuto decreto de emergência, desta vez pela crise hídrica.

sábado, 17 de outubro de 2015

Cidadãos e meio ambiente no alvo ganancioso da especulação imobiliária

Bom Jesus do Itabapoana vive um agudo momento de retrocessos, muitos retrocessos em todos os setores de nossa administração pública, são muitas feridas que se alastram sem a preocupação coletiva em cura-las, e dentro de tantos tópicos de retração moral, gerencial, política, urbanística e ambiental, podemos eleger uma imagem como o retrato resumido de tudo um pouco.

domingo, 11 de outubro de 2015

Distrito Industrial ou detrito ambiental?

Circulou no blog do Alan Gonçalves um vídeo produzido por uma moradora da Nova Bom Jesus, em que no mesmo ela faz uma grave denúncia de crime ambiental praticado pela administração do abatedouro instalado naquela localidade, o vídeo flagra que o sangue descartado pelo abate está sendo jogado diretamente no solo, junto com outros dejetos contidos no esgoto.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Rio Itabapoana | Trágica transformação de cenário

O internauta Marcos Paulo Etiene publicou em sua página no Facebook três fotografias do rio Itabapoana, possivelmente registradas em Bom Jesus do Norte, uma na saúda do bairro Silvana na rodovia ES 297, e as outras provavelmente registrada na Ponte Nova.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O I.D.H. de um povo sem Á.G.U.A.

Ao mesmo tempo em que Bom Jesus do Itabapoana se destaca na “O.N.U.” com seu irresistível I.D.H., a população bom-jesuense vive em outra realidade tão precária que considerável parte da população já convive com sérios problemas de abastecimento de água, isso mesmo, a cidade que o governo festeja pelo destaque em “qualidade de vida” mal consegue garantir este bem de consumo essencial para qualquer sociedade.

Consequências da omissão ambiental da prefeitura


Não foi por falta de aviso, foram muitas as publicações que veicularam neste portal denunciando as atrocidades ambientais e urbanísticas que estavam em pleno curso no loteamento Santa Edwiges. 

As relações estreitas e obscuras do empreendedor em tela no meio político bom-jesuense, permitiu que toda sorte de agressão ambiental fosse respaldada pela total ausência de fiscalização do poder executivo.


Nesta publicação temos uma moradora vizinha a este loteamento criminoso denunciando um novíssimo esgoto trafegando a céu aberto, fruto da irresponsabilidade com que este desgoverno conduz o crescimento urbano do município.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Espírito Santo acorda pelo Itabapoana e afluentes, falta agora o RJ

Projeto de iniciativa voluntária de preservação das nascentes do Rio Calçado se integram com o projeto governamental envolvendo 30 municípios do estado do Espírito Santo.
Texto/Foto: Sinara Machado

domingo, 20 de setembro de 2015

Nossa fauna ameaçada

Esta reportagem foi veiculada em fevereiro de 2013, e a situação permanece do mesmo jeito, depois deste alerta tivemos a notícia de uma onça parda atropelada entre Ponte do Itabapoana e Apiacá, tivemos testemunho de um bando de quatis atravessando a RJ 230 e neste domingo tivemos o caso de um tamanduá capturado dentro de uma residência no centro de Bom Jesus do Itabapoana.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Omissão ambiental de elevado custo

Em 2012 o departamento de meio ambiente recebeu do governo do INEA um veículo Renaut Logan novo para exclusivamente realizar o serviço de fiscalização ambiental em Bom Jesus do Itabapoana, não obstante, o que se testemunhou na utilização deste veículo foi o uso escancarado com finalidade própria dos insignificantes ambientais, os gastos com combustíveis permanecem estratosféricos sem ninguém ter a menor noção de como se gasta tanto no Auto Posto 2000.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Incêndio na parte alta do bairro Lia Márcia

Internauta Rubinho Lagos publica em sua página no Facebook um incêndio em largas proporções em local que aparenta ser próximo das torres de telefonia, fica o alerta para que o Corpo de Bombeiros seja acionado para evitar danos maiores, os moradores devem ficar atentos com a fumaça na região do incêndio além da defesa civil se postar de prontidão para qualquer necessidade eventual.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Lobo Guará invade residência em Miracema



"Considerado um animal ameaçado de extinção, um lobo guará provocou momentos de pânico aos moradores de uma residência situada na Rua Estorgilda Dias Sentineli, no Jardim Bervely em Miracema. Por volta das 23h30 desta desta quarta-feira (29), uma moradora notou a presença do animal no banheiro de sua residência e se assustou, trancando-o e correndo em direção à rua em busca de ajuda.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Revelado um novo foco de dengue, e de desperdício de recursos públicos



O cidadão e ativista André Luís de Oliveira publicou em sua página no Facebook uma sequência de fotografias denunciando um fato curioso pela maneira em que o mesmo se manteve discreto até o momento, trata-se de uma estação de tratamento de esgoto localizado em pleno centro de Bom Jesus do Itabapoana, atrás da rua Buarque de Nazaré.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Sociedade reage com a futura extinção da Cachoeira da Fumaça

A publicação da página de Calheiros em protesto pela extinção da Cachoeira da Fumaça rendeu enorme repercussão na rede com mais de quarenta compartilhamentos em poucas horas de publicação, o bom-jesuense que está castigado com tantas perdas e retrocessos, se vê na possibilidade real de ver mais uma riqueza de nossa terra desaparece pelo interesse econômico e pelo desprezo da governanta da cidade pela pauta ambiental.

Mais duas PCH’s ameaçam Itabapoana, e o poder público se mantém inerte

A manifestação da comunidade de Calheiros na defesa da Cachoeira da Fumaça vem em um momento mais que oportuno para o poder público agir em tempo de evitar o que será uma tragédia ambiental consta o castigado rio Itabapoana, ele que já sofreu com brutais agressões ambientais na construção das PCH’s de Calheiros e Pirapetinga, agora se vê na iminência de serem construídas mais duas PCH’s.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Núcleo Industrial Nova Bom Jesus | Esgoto céu aberto compondo lamentável cenário

No dia em que visitei a sede do Grupo Extrair no distrito industrial, além da importante matéria que resultou nas informações obtidas sobre a inserção no mercado japonês com a exportação de sementes de maracujá desidratadas. 
Na mesma ocasião pude constatar que o descaso do poder executivo com o meio ambiente permanece intacto no cenário visitado.

sábado, 2 de maio de 2015

Agressão ambiental onde um dia foi de preservação ambiental

A Reserva Ecológica Jorge Assis de Oliveira permanece vitimada pelo descaso do poder público municipal, a lixeira “esquecida” pela Top Mak segue firme em seu propósito depredatório no habitat dos macacos pregos que tanto diverte as crianças e desperta a curiosidade dos adultos, e mesmo com tudo que natureza nos oferece, permanecemos em elevado débito com ela ao agredir poluindo este tradicional ponto turístico de Bom Jesus do Itabapoana.

Fica registrado o apelo a todos os visitantes que levem de volta o lixo gerado no passeio, não esperem do poder executivo!

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Atividade industrial em local incompatível com a lei

A muito tempo que os moradores da Avenida Fassbender se queixam de uma marmoraria localidade em pleno centro da cidade, são muitas as reclamações provenientes do barulho do maquinário pesado ao pó de mármore emitido pela empresa, a prefeitura já removeu uma empresa de sucatas do bairro Lia Márcia para o núcleo industrial da Nova Bom Jesus pelos mesmos motivos, ficando a indagação no fato do mesmo rigor não ser aplicado a citada empresa no centro da cidade.

domingo, 12 de abril de 2015

Flagrante no lixão da estrada do Arrebenta Rabicho

Um novo lixão que se formou nesta estrada vem gerando polêmicos debates acerca da responsabilidade de quem descarta uma grande quantidade de lixo, e que a Top Mak passa dias sem esvaziar a caçamba colocada pela prefeitura, o que ocasiona no constante acúmulo de lixo nas margens da rodovia. Em matéria veiculada em 2014 eu coletei informações de moradores vizinhos que afirmaram que já testemunharam servidores da Top Mak despejando lixo no local.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Ministério do Meio Ambiente disponibiliza cartilha para o Cadastro Ambiental Rural

Está com dúvidas sobre como realizar o Cadastro Ambiental Rural (CAR)? Então, não perca tempo e acesse a Cartilha com Orientações Básicas sobre o CAR: http://goo.gl/cIQPxT. Vale lembrar que aqueles que têm dificuldade de acesso à internet ou quaisquer outras dúvidas podem pedir auxílio à secretaria de Meio Ambiente da sua cidade ou junto a sindicatos, associações e demais órgãos representativos de classe

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Governo Branca Motta | Programa “Mais Lixões” a todo vapor na RJ 230

Governo das maravilhas públicas se empenha ao máximo para superar a meta de expansão de lixões por todos os cantos do município

E este lixão deste vídeo tem uma atenção especial do secretário de obras, que por residir em Rosal, o mesmo passa todos os dias por duas vezes inspecionando a consolidação do “lixão turístico”, inclusive estão prevendo a instalação de um modelo deste na chegada de Rosal para o Festival de Sanfona e Chorinho.

A consolidação desta nova unidade poluidora do governo Branca Motta já está em sua segunda fase, haja visto que a conclusão da primeira fase se deu no acúmulo de lixo, dando condições para na segunda fase iniciarmos o processo de queima do lixo a céu aberto.


Até quando vamos permanecer assistindo a este escandaloso assalto aos cofres públicos que é este contrato de coleta de lixo?

Os pacíficos contribuintes bom-jesuenses estão bancando quase QUATROCENTOS MIL REAIS POR MÊS para termos uma cidade insalubre, e principalmente para bancar a boa vida da quadrilha da prefeita.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Crise hídrica? Famigerada CEDAE ataca rua João Ribeiro

Vazamento na rede de abastecimento de água tratada perdura a quase trinta dias, segundo relatos de vizinhos do local


A sociedade está atenta e contrariada com a campanha do governo e da CEDAE orientando aos moradores para o uso consciente da água, flagrante da vez foi iniciativa de um morador da rua que me abordou no centro da cidade solicitando uma matéria no local. 
O prejuízo aos cofres públicos com o desperdício de água tratada desbanca qualquer decreto emergencial.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Arraial Novo | Encosta de saibro sob risco de desmoronamento

Local era ponto de extração ilegal de saibro, e durante algum tempo causou sérios prejuízos em uma reserva de Mata Atlântica existente no alto da encosta

Aparentemente observei que já faz algum tempo que não há atividade de extração de saibro, a composição do solo na encosta sinaliza que há muito tempo não se remove saibro, por outro lado, os reflexos de anos de extração de saibro ainda ocasiona em desmoronamentos com as chuvas. Pela altura da encosta, um grande deslizamento pode interditar por completo esta importante via rural. 

Conforme registra as imagens, temos árvores que desceram no deslizamento que estão com as folhas verdes, aparentando ter deslizado há pouco tempo mesmo com poucas chuvas nesta temporada.

Os prejuízos ambientais já são consideráveis e podem vir a ser irreparáveis se o poder público permanecer inerte

O departamento de meio ambiente tem que providenciar um trabalho de recuperação florestal nesta encosta para evitar novos deslizamentos, o local fica na estrada que liga Arraial Novo a Rosal, e bastando seguir neste trajeto que o problema será facilmente localizado.

Arraial Novo | Alterações na paisagem sempre com alguma agressão ambiental

Estrada entre Arraial Novo e Rosal apresenta três novas residências, duas concluídas e a terceira em fase final de construção

Não consegui confirmar se essas residências são do programa do governo federal “Minha Casa, minha vida rural” que teria contemplado dezenove famílias da região, ocorre que nas duas residências concluídas temos a suspeita de crime ambiental cometido ao constatar que em ambas as casas uma área foi desmatada para servir de quintal das mesmas, a terceira casas está situada em um terreno sem vegetação nativa.

Se o código florestal prevê pesadas punições para casos de desmatamentos em reserva de mata Atlântica, a situação fotografa nesta terça-feira (17/02) se torna gravíssima, cabendo ainda levantar a informação se as pessoas que estão residindo nas casas são os proprietários, colonos ou posseiros que adquiriram a área, aparentemente são trabalhadores rurais, pessoas de baixa renda.

Um pouco antes e acima do local onde estão sendo construídas as residências, temos um trabalho de aterramento que formou uma barragem de terra, possivelmente para servir de reservatório das residências, no qual temos algumas caixas d’água no trajeto entre a barragem de terra e as residências.

Uma intervenção deste porte deve por lei ter uma licença ambiental para a execução da mesma, e analisando o local registrado na fotografia, a barragem formada aparentemente somente com o aterro aparenta certa fragilidade caso tenhamos tempestades com grande volume hídrico, o que é normal nesta alta região.



A falta de sinalização ou placas com as informações sobre todas essas intervenções no meio ambiente levanta muitas dúvidas neste cenário, que desperta a tenção ao menos pelo desmatamento na base de uma reserva de Mata Atlântica.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Poder público que desinforma e polui pontos turísticos de Bom Jesus do Itabapoana

Na floresta dos macacos-prego prefeitura muda o nome da reserva ecológica, põe uma lixeira mas não coleta o lixo

O cenário de um dos principais pontos turísticos da baixada bom-jesuense é desolador, a Reserva Ecológica Jorge Assis de Oliveira teve seu nome alterado pelo departamento de turismo e cultura, que tem a lamentável cultura da desinformação e da desconstrução dos personagens históricos de nossa terra, alterar o nome para “Reserva Ecológica dos Macacos” é de uma deselegância sem precedentes com os herdeiros de nosso histórico Jorge Assis de Oliveira.

O governo de tão despreparado e sem o menor conhecimento dos critérios adorados em pontos de turismo ecológico, plantou uma lixeira no exato local onde os turistas levam as crianças para alimentar os macacos da reserva, obviamente que se a Top Mak não consegue manter a sede do município minimamente limpa, imagina um local distante quase vinte quilômetros do centro da cidade.

O correto para este local seria não ter lixeira alguma, e sim uma placa orientando os turistas a levarem de volta o lixo produzido neste local, todas as pessoas que frequentam este local vão de carro tendo totais condições de levar de volta o lixo de cada um.


Também cabe informar em outra placa no local frequentado quais são os tipos de frutas ideais para alimentar os primatas, para evitar que as pessoas ofereçam alimentos industrializados ou condimentados.
Os departamentos de turismo e cultura, e o de meio ambiente devem o quanto antes tomar as providências para acabar com esta vergonhosa situação, o governo se supera na depredação ambiental do município com esta cena lamentável em um dos principais pontos de turismo ecológico de Bom Jesus do Itabapoana.

Crise hídrica? Obra pública desperdiça água tratada no centro da cidade

Internauta Rodrigo Monteiro registra o fato em vídeo e repercute nas redes sociais, sociedade se indigna em ter que racionar e ver o poder público desperdiçar água tratada

A obra é a da construção da Unidade Básica de Saúde que o governo municipal chama de “Clínica da Família”, e como está bem nítido, o vídeo produzido na tarde de sábado (14/02) retrata um grande volume de água indo embora pela rua até o bueiro com sua “nascente” no interior da obra. Se os tão propagados “onze milhões em investimentos” na Cedae de BJI estivessem sendo postos em prática, sem dúvidas que muitos problemas de vazamento da rede de abastecimento já estariam solucionados.


Ademais, a conduta negligente dos gestores públicos do município proporciona a atmosfera hipócrita da sociedade tendo que se sacrificar na economia de consumo de água com o governo fazendo exatamente o inverso.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Crime ambiental patrocinado pelo poder público municipal

Moradores da avenida Padre Mello solicitaram a prefeitura a poda de uma árvore, e a criminosa Top Mak entrou em ação na devastação ambiental

É muito provável que no boletim de medição mensal apresentado pela empresa apresente à secretaria de obras o trabalho de poda e remoção dos galhos de uma grande árvore, mas o esquema de desvios de recursos públicos neste contrato faz desta medição de serviços uma maquiagem administrativa de um nefasto esquema de corrupção.

Atendendo o chamado dos moradores vizinhos da grande árvore que está condenada pelo ataque de uma erva daninha, os servidores da Top Mak foram até a margem do Valão Soledade na “Ponte do José Lima”, e fizeram a poda da árvore, os galhos que sobraram do serviço, e que deveriam serem conduzidos até um destino adequado, foram descartados no próprio local da poda.

A maior parte dos troncos podados foram queimados na margem de um afluente do rio Itabapoana, e que fica a menos de cinquenta metros do próprio Itabapoana, e o que sobrou da queimada criminosa de autoria do poder púbico, foi jogado dentro do valão Soledade, fazendo com que o mesmo fique mais obstruído ainda.

Enquanto o governo promove a farsa do decreto de emergência hídrica com o intuito de se chafurdar nos R$ 300.000,00 com dispensa de licitação, o mesmo governo depreda o meio ambiente praticando crimes hediondos contra ao meio ambiente em pleno centro da cidade.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Decisão do delegado frustra operação da polícia ambiental

Na terça-feira (10/02) a guarnição do CPAm realizou uma apreensão de diversos pássaros silvestres em cativeiro, e sem o registro legal para tal prática

Ao chegar na delegacia para lavrar ocorrência do flagrante, o delegado tomou uma decisão que contrariou a guarnição, em que ele não permitiu que os pássaros apreendidos fossem levados para um centro de triagem especializado em animais silvestres, ele nomeou o próprio acusado como o fiel depositário dos pássaros, um verdadeiro desestímulo de uma guarnição que percorreu mais de 200 quilômetros para ver o objeto da apreensão sendo devolvido ao flagrado.

A pessoa que foi flagrada com os dezesseis pássaros silvestres sem registro é pessoa de bem, e tem este habito há décadas, porém não é novidade que se tenha a necessidade em registrar os pássaros que já se encontravam em cativeiro a partir da regulamentação da lei, e não se negligenciar ao ponto de servir como um péssimo exemplo ao desmoralizar a autoridade ambiental fazendo a guarnição inteira perder a viagem e praticamente o dia de serviço.



Por conta dessas decisões inusitadas que as questões ambientais são relegadas a segundo plano, a decisão do delegado abre um perigoso precedente em futuros apreensões deste gênero por conta da “exceção” concedida pelo delegado nomeando como fiel depositário do objeto apreendido a pessoa acusada pelo crime ambiental cometido.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Agressões ambientais em afluente do rio Itabapoana

Moradores da Barra do Pirapetinga estão jogando lixo dentro do córrego Pirapetinga, que vem a ser um dos principais afluentes do Itabapoana

A administração distrital desta comunidade está restrita a somente um servidor que de fato zela por ela, o indivíduo que está com a responsabilidade de gerir as demandas da localidade anda sumido, mesmo que somente temos uma rua neste aprazível canto da serra. Além do problema desta matéria, temos ainda cães doentes nas ruas e a ambulância ainda não chegou.

As comunidades de Calheiros, Barra do Pirapetinga, Serrinha, Usina Santa Maria e Mutum contam com coleta de lixo somente uma vez por semana, e os moradores tem que armazenar o lixo dentro de casa durante toda a semana para no dia estabelecido pela limpeza urbana passar para a coleta.

O córrego Pirapetinga está entregue ao abandono assim como todas as comunidades de Bom Jesus do Itabapoana, e o governo que se diz preocupado com a crise hídrica jamais se mobilizou pelos afluentes do rio Itabapoana, ou sequer citou o nome de nosso rio.



Um afluente do porte deste que protagoniza esta matéria deveria ser tratado com todo zelo, assim como todos os demais, porém o governo não se interessa por políticas ambientais na prática, somente noticia muitos projetos sem pôr nenhum em prática.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Cadastro Ambiental Rural | Desafios na implantação de uma nova mentalidade sustentável

Reunião de apresentação em Rosal contou com público expressivo mesmo com a forte chuva, produtores rurais e autoridades políticas tiveram uma apresentação que se torna o grande desafio para o futuro de nosso meio ambiente

O evento teve como principal objetivo em levar aos pequenos produtores rurais de nossa região melhores esclarecimentos sobre o novo Código Florestal, e consequentemente a obrigatoriedade de ser inseridos no Cadastro Ambiental Rural, contudo o projeto como um todo apresenta diversas oportunidades de projetos alternativos de desenvolvimento sustentável.

E pelo que pude observar nesta reunião no pouco tempo que acompanhei, a mesma será como o principl desafio a resistência dos produtores em ceder parte de suas propriedades para recuperação ambiental prevista no projeto, como exemplo tivemos um produtor que durante a apresentação sobre Áreas de Preservação Permanente, perguntou ao palestrante sobre o custo do reflorestamento e quem arcaria com as despesas.

O programa oferece mudas, suporte técnico e até incentivos fiscais para quem aderir ao plano de recuperação ambiental pelo CAR, porém como bem salientou o chefe do serviço de adequação ambiental de pequenas propriedades rurais/INEA, José Maria Soares Filho, que o principal interessado em promover o reflorestamento nas propriedades rurais, são os próprios proprietários, que estarão investindo na capacidade produtiva da propriedade.


Outro ponto observado é que existe uma demanda organizacional por parte dos responsáveis pelo cadastramento das pequenas propriedades, chegando a ser informado que trinta e quatro mil propriedades ainda estavam fora do cadastramento, algo em torno de 65%. 

Clique na imagem e amplie!
A expectativa é que o poder público municipal ofereça condições auxiliar no cadastramento dos proprietários de Bom Jesus do Itabapoana, além da necessidade da conscientização dos produtores rurais sobre a sustentabilidade rural.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Itabapoana sempre imponente, contraria o prognóstico do agouro legislativo

Curso do rio se normaliza na região da Ponte do Waldir indicando elevação do nível, população de Pirapetinga em polvorosa na procura pela comunidade de São Benedito da Barra do Pirapetinga

Mesmo com todo descaso do poder público, mesmo com todo desprezo de grande parte da população, e mesmo com as brutais agressões sofridas por ambos, o nosso surpreendente Itabapoana se mostra com uma força que impressiona, sua condição de rio que tem caminho próprio da nascente até o mar o eleva a uma condição mitológica em tempos de crise hídrica na região.

Conforme podemos observar nas fotografias desta parte da matéria, a situação do rio na divisa com Apiacá se encontra muito próximo da normalidade, somente um pequeno trecho lateral entre as ilhotas que as pedras ainda permanecem expostas

por outro lado, em aproximadamente setenta por cento de sua largura está com seu leito robusto e com volume de água considerável, ainda mais se levarmos em conta diversos fatores geográficos que fazem deste trecho do rio com menor volume de água naturalmente.

O tempo tem contribuído perfeitamente, as chuvas têm caído na intensidade exata para nossa realidade, chove com regularidade quase todos os dias desde quarta-feira passada (04/02), e o melhor, sem nenhum grande temporal que leva o caos do lamaçal do centro da cidade.
Os afluentes do rio na região serrana estão se restabelecendo a olhos vistos, e em momento algum, nenhuma comunidade passou por qualquer privação de abastecimento de água, todo cenário dramático traçado até o momento pelos governistas não passa de um alarmismo leviano e tendencioso com os motivos já devidamente detalhados.


A única novidade que vale a notícia, é que algum cidadão de Pirapetinga copiou a gravação do pronunciamento do vereador e de seu celular passou a compartilhar em massa via Bluetooth chegando a contabilizar mais de cinquenta compartilhamentos somente dentro do distrito natal do parla-dramático. 
E segundo um amigo de lá me informou que o cenário está resumido da seguinte forma: Quem é contra o vereador está com a gravação no celular fazendo piada na procura de fictícia localidade de São Benedito da Barra do Pirapetinga, os que são simpatizantes do vereador ficaram de mal humor e se trancaram em casa tamanho o constrangimento.

Pode ser que o jovem edil tente se tangenciar deste absurdo alegando que teria confundido os nomes das localidades, sendo certo que o trecho entre Barra do Pirapetinga e São Tomé se chama “Benedito Santos”, no entanto nesta aprazível localidade não temos em hipótese alguma 28 famílias vivendo como se estivessem no Vale do Jequitinhonha, temos sim um local muito valorizado com dezenas de chácaras de elevado padrão onde água nunca foi problema, alguns contam até com lago que permanece cheios como sempre.

Vamos aguardar até a sessão legislativa desta segunda-feira para ver se o vereador esclareça melhor que comunidade é essa de São Benedito que faz parte da Barra do Pirapetinga, e principalmente que esclareça quem são as vinte e oito famílias que passam por este problema, posso lhe garantir que em toda região serrana não será possível encontrar VINTE E OITO famílias com privação de abastecimento de água.

Santa Isabel | Lixão permanece queimando mesmo depois da chuva

Fotografia registrada na tarde de sábado revela que a propagação de chamas é mais intensa do que se imaginava


E com a sequência de chuvas ocorrida desde quarta-feira (04/02) temos um novo fato como agravante do quadro ambiental, que se encontra na água da chuva que se mistura com o chorume e o lixo no solo, esta perversa associação ocasiona em danos gravíssimos no lençol freático, consequentemente contaminando o próprio rio Itabapoana.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Cadastro Ambiental Rural | Evento extensivo a produtores de toda região serrana

Evento agendado para o dia 09 de fevereiro de 2015 representa um grande passo para se estabelecer uma mentalidade sustentável em nosso setor agrícola

Evento será realizado em Rosal com o convite extensivo aos produtores da região serrana, que contará com a participação de técnicos da área da engenharia ambiental e gestão de recursos hídricos com o objetivo de apresentar e oferecer programas de incentivo rural com aplicação de políticas de desenvolvimento sustentável e de recuperação florestal.

Os proprietários rurais de Barra do Pirapetinga, Pirapetinga, Calheiros, Arraial Novo e Prata estão convidados a participarem do evento, os interessados podem ainda levar a documentação de suas propriedades sendo eles plantas e memórias descritivas das propriedades, que poderão se cadastrar no local do evento no Agevap com o responsável pela capacitação, Gustavo Vinagre Souza.

Trata-se de uma oportunidade de extrema relevância em tempos de crises ambientais que vivemos em toda região noroeste, que se destaca como a mais depredada de todo estado do Rio de Janeiro, com isso, fica o convite para que todos os proprietários se interessem e participem deste programa de gestão hídrica que possibilitará até mesmo no incremento da produção de suas propriedades.


Clique na imagem e fique por dentro!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A boa nova pela defesa do meio ambiente na parceria INEA/CPAm

Instituto Estadual de Ambiente adota estratégia de fiscalização com o Comando de Policiamento Ambiental da PMERJ, os resultados já são notados em todo estado

E esta parceria entre a Polícia Ambiental Militar com o INEA deu uma nova dinâmica nas ações das unidades de policiamento em diversos pontos do estado, as ações vem ocorrendo em todas as regiões do estado, e Bom Jesus do Itabapoana é atendido pelo CPAm do Desengano, situação em Santa Maria Madalena.

Mesmo com a distância superior a duzentos quilômetros de BJI, o destacamento da Serra do Desengano tem atuado com desenvoltura em nossa região serrana, tendo comparecido por duas vezes no mês de janeiro, resultando na apreensão de redes de pesca e com a interdição de uma extração de areia clandestina.

E para que tenhamos a dimensão exata da importância deste Comando de Policiamento Ambiental, as ações deste grupamento não se restringem em locais de conservação ambiental no interior do estado, temos tido constantes ocorrências na região metropolitana do Rio de Janeiro.

E nos casos ilustrados nesta matéria temos as ações do CPAm em casos de distribuição de água clandestina na comunidade da Taquara na capital do estado, e de um abatedouro clandestino de suínos em Nova Iguaçú.

As ações da polícia ambiental dependem muito da colaboração da sociedade, para tanto a mesma sempre alerta e oferece seus contatos para qualquer informação relacionadas a crimes ambientais. 

Diante da inoperância da fiscalização ambiental do município, as ações do CPAm em nossa região se tornam providenciais.

O Comando de Polícia Ambiental pede que a população continue contribuindo com informações, entrando em contato com o Disque Denúncia através dos telefones abaixo>

__________________________________________________

(21) 2253-1177 (capital) ou 0300 253-1177 (interior), ou ainda pelo telefone do próprio CPAm: (21) 2334-7634. 

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Gado clandestino em APP oferece perigo na RJ 230 serrana

Falta de fiscalização ambiental no município facilita a vida de posseiros que gado que não tem terras e nem condições financeiras para arrendar uma pastagem, com isso a alternativa é a Área de Preservação Permanente da PCH Pirapetinga

Já faz bastante tempo que ocorre esta grave irregularidade, o local de sempre é próximo a Ponte da lagartixa, e como é uma área sem cerca o gado frequentemente vai para o asfalto, como no anoitecer de terça-feira (03/02) em que tínhamos seis cabeças vagando pela rodovia em um horário de muito pouca visibilidade, aumentando anda mais o risco de acidentes.

Além do perigo constante neste trecho da estrada, que fica entre a estrada da PCH Franca Amaral e nas proximidades do Pesque e pague das Palmeiras, este gado clandestino que é tocado para dentro da APP já destruiu todo o trabalho de reflorestamento que foi realizado entre 2012 e 2013, ocasião que pude acompanhar o excelente trabalho realizado pela empresa especializada de Belo Horizonte, que foi contratada pela concessionária da usina.

Fica o registro para quem sabe um dia teremos em nosso poder público local uma fiscalização ambiental comprometida com a sustentabilidade, e não com a postura negligente que temos atualmente no departamento de meio ambiente.